O SONHO DE FRANCISCO E O SONHO DA JUVENTUDE.


Francisco de Assis é um dos santos mais queridos e populares do Brasil. Presente na devoção popular e que transcende tantos credos e confissões. Dele temos ideias um tanto romantizadas: amigo dos animais, protetor da natureza etc.  Mas existem tantos outros aspectos pouco são lembrados.

Podemos pensar na juventude do Santo, quando tudo começou. O jovem Francisco se parece em muito com os jovens do nosso tempo, gostava de festas e músicas. Entre os amigos, era visto como o rei da juventude por saber aproveitar as noitadas em baladas. Rico, filho de comerciantes, era pródigo em esbanjar a fortuna do pai com os amigos. A sua marca registrada era a alegria contagiante, que atingia a todos. Impulsivo, sonhador e temerário, este era o Francisco jovem.       Sua juventude é marcada por tantas vicissitudes, que fica difícil escolher a mais significativa, mas há um movimento, dentro de sua alma, que merece maior atenção.

No caminho de Espoleto, armado como cavaleiro, cheio de projetos, desejos e com muito do seu ego inflado, é surpreendido por uma estranha voz. Estabelece-se um diálogo provocador e desconfortável. Entre dormindo e acordado Francisco pergunta: “Que queres que eu Faça?”. A resposta curta é decisiva na vida do jovem de Assis: “Volta à tua terra…”.

Assim também acontece com os nossos jovens. Têm sonhos, objetivos, tantas vontades e, em um dado momento, circunstâncias e pessoas mostram que é necessário refazer a rota, fazer outro caminho.

Voltar não é fácil.  Ressignificar  a vida é um grande desafio. É necessário um exercício de humildade. Saber dar novos significados a perdas e a experiências dolorosas é fundamental para quem deseja ter uma vida mais feliz.        Voltar pede um movimento da alma, não é só questão de fazer escolhas. É fazer o caminho de Francisco, pensar, refletir e finalmente decidir.

Ressignificar a vida é preciso, pois, mais importante do que possuir e fazer, é como nós enxergamos a nós mesmos. Quem nunca se reinventa, provavelmente, morrerá afogado por uma onda de mesmice, passará pela vida em estado de frustração.

Para experimentar a vida com significado e coragem é preciso fazer como Francisco: se arriscar no terreno das incertezas e da luta.          O grande legado que Francisco deixa à juventude é a capacidade de sonhar com dias melhores e que outro mundo é possível, baseada unicamente na prática do amor. Este jeito de ser e viver oferece uma alternativa de vida à cultura de morte, que permeia nossas realidades.

Walter Frederico Garcez

Fraternidade Três Companheiros.

Gravataí – RS

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>